Com uma linguagem didática e acessível, o livro Vendo a Vida pela Economia no Brasil (Autografia), do economista Luiz Zottmann, traz uma visão esclarecedora sobre o papel da economia na vida do individuo e na sociedade. Ele fala da importância e valor do tempo, do sucesso pessoal, da necessidade de geração de riquezas para o crescimento da economia e os desafios da governança e distribuição de renda. “Uma boa economia depende de muitos fatores diretos e indiretos. É preciso produzir riquezas e para isso é necessário alcançar o sucesso. Partindo da premissa de que todo mundo nasce nu, incapaz e pobre, ainda que em família rica, o esforço pessoal e a ética são determinantes para se gerar riquezas”.

Segundo Zottmann, uma economia saudável depende de três pilares: produção de riquezas, distribuição de renda e boa governança. “Sem enfrentar esses desafios nossa economia não avança. O papel da riqueza é muito importante, inclusive como gerador de emprego. O aumento e diversificação do consumo também geram novas oportunidades de trabalho. Na economia o ter é importante. O consumo não deve ser visto com maus olhos, desde que respeite a capacidade da natureza, principalmente de bens não renováveis”.

Zottmann apresenta, ainda, estudo das razões que levam à desigualdade na distribuição da renda e às armadilhas que as deficiências de dados e de medidores apresentam para os analistas. “Não da para falar se há uma boa ou má distribuição de renda. Nem sempre que há um aumento da riqueza há boa distribuição de renda. E vice e versa. Por isso falar de justiça social dentro do campo da distribuição de renda pode ser politicamente correto, mas acaba se tornando um conceito vazio e difícil de ser compreendido pela maioria”.

A dificuldade em governança enfrentada no Brasil é outro ponto importante e sensível abordado por Zottmann. Segundo o economista, o grande desafio é mudar a cultura dos próprios governantes que parecem não entenderem a quem realmente devem servir. “É preciso alterar a ordem de prioridade que é dada aqui no Brasil. Hoje as decisões são tomadas com base primeiro nos interesses dos políticos, depois dos empresários e, por último, da população. Isso alimenta o sistema de corrupção enraizado no Brasil desde o seu descobrimento”.

LuizHottmannO AUTOR
Luiz Zottmann é economista com PhD pela Universidade Columbia, nos EUA. Autor de mais de dois mil trabalhos sobre economia, trabalhou no Ipea entre 1967 e 1991, como assessor da Presidência da República e como assessor de partidos como os antigos PL e PFL, e o atual PP. Também foi professor de economia no Ipea, na FGV e na CNI.

DEPOIMENTOS

“Ao ler este livro você logo entenderá melhor porque até uma coisa simples, como abrir um pequeno negócio e começar a produzir, se torna tarefa complicada neste país. E por que, por exemplo, a cidade mais rica do Brasil é também a mais injusta pela enorme concentração de rendas. E por que governos malandros nos prometem futuro para, em seguida, só entregar faturas. E por que, afinal, a ideia linda de termos, um dia, um “governo todo grátis” não passa de piada de mau gosto” – Paulo Rabello de Castro, escritor, gestor de desafios e Presidente do BNDES.

“O desafio de produzir no Brasil é enorme, e isso se deve, em boa parte, a essa falta de conhecimento do brasileiro acerca de como a riqueza é produzida e como a economia funciona. Esse livro, ao esclarecer essas bases da economia e desmistificar algumas crenças disseminadas em nosso país, representa um excelente instrumento para quem deseja deixar para trás a pobreza, nossa condição natural, e chegar à riqueza, o prêmio das pessoas e sociedades trabalhadoras e produtivas” – Rodrigo Constantino, economista e colunista.

“Como destaque cabe apontar que a obra trata de modo pertinente a abrangência do Estado na vida das pessoas. Expõe oportunamente que a ideia de gratuidade dos serviços públicos contempla na verdade custos elevados provenientes da burocracia governamental, da ineficiência da máquina estatal e do intervencionismo” – Marcos Cintra, economista.

“Zottmann mostra claramente ao longo do livro o quão é equivocada a atitude passiva de esperar que o governo nos faça cair do céu tudo o de que precisamos e como é importante a ação humana individual em uma economia de livre mercado, em que o Estado cuide tão somente de regular, coordenar e fiscalizar a atividade econômica. Trata-se de obra importante para que o público leigo possa entender, no papel de protagonista, o que é de fato a economia do mundo real” – Ubiratan Jorge Iorio, diretor acadêmico do Instituto Mises Brasil e professor associado da Faculdade de Ciências Econômicas da UERJ.