Imagine uma plataforma para auto-publicação de seu livro. Agora, imagine que você, autor de sua obra, deve apenas escrever seu livro e montar um projeto a fim de angariar os recursos necessários, durante um tempo determinado, para custear a publicação do seu livro, incluindo revisão, diagramação, design de capa, conversão para e-book, impressão, logística de distribuição e produção e distribuição das recompensas. Imaginou? Então… isso tudo já existe. Bacana, né?

Bernardo_Obadia_DIVULGAÇÃO_03

Bernardo Obadia, sócio-fundador da Bookstart. Foto: Divulgação.

É a Bookstart, uma plataforma de financiamento coletivo para auto publicação que surgiu a partir do diagnóstico de que muitos autores gostariam de publicar suas obras, mas não encontravam entrada pelo modelo tradicional. “Diante disso, o que fizemos foi unir a capacidade executiva de uma editora e a capacidade multiplicadora do próprio autor, deixando o crivo do que deve ou não ser publicado para o público”, explica Bernardo Obadia, sócio-fundador da Bookstart.

Cada projeto, projeto tem um tempo determinado para permanecer no ar – geralmente de 60 dias. Após este prazo, caso a campanha atinja a meta financeira estabelecida, a Bookstart inicia o processo editorial e de impressão do livro. “Ou seja, a obra só vira realidade se esta “pré-venda” atingir a meta financeira”, explica Obadia.

Caso a campanha não atinja a meta, o pagamento é estornado ou o leitor pode comprar outros livros com o pagamento feito anteriormente. Como parâmetro de prazo de execução de todo o projeto, a Bookstart tem por costume entregar os exemplares vendidos – após revisão, diagramação, design de capa, conversão para e-book e impressão – em até 120 dias após o final da campanha. “Durante esse período, enviamos e-mails periódicos aos apoiadores – e aos proponentes de campanha – para informar sobre o status do processo de editoração da obra”, diz o empresário.

 

Oportunidade para todos 

Bookstart02_Projetos

Projetos na reta final de arrecadação. Imagem: Site oficial.

Obadia explica que todos têm oportunidade de publicar o seu livro, sem um processo seletivo rígido,       poiso crivo de seleção é do público. “Porém, há, sim, uma seleção prévia dos nossos editores: livros com conteúdo pornográfico e propagando política, por exemplo, não são aceitos na plataforma”, informa.

Os livros publicados pela Bookstart são impressos e convertidos em e-books, que ficam disponíveis nas plataformas da Amazon, Kobo, Google, Apple e Saraiva. Já os livros impressos ficam disponíveis para venda na livraria virtual (livraria.bookstart.com.br), com frete grátis para todo o Brasil.

“Todos podem publicar conosco. Nosso maior propósito é dar vida a histórias de autores brasileiros”, afirma o sócio-fundador.

 

Sobre a divisão de lucros 

Bookstart03_Home

Home do site oficial da Bookstart.

Importante esclarecer que a Bookstart não é uma editora, mas sim uma plataforma que presta serviços editoriais. Segundo Obadia, é um modelo complementar e não substituto ao modelo tradicional de publicação. “Porém, todos os nossos projetos têm o mesmo crivo de qualidade que o de grandes editoras. Ou seja, na prática, não somos uma editora, mas funcionamos como tal”, explica.

Mas é possível ganhar dinheiro publicando seus livros via Bookstart? Sim, é possível! Quando uma editora ou um autor contrata a plataforma apenas como prestadora de serviços, sem a necessidade de financiamento coletivo, a proposta comercial é baseada no projeto editorial desejado.

No caso de editoras ou autores que a contratam apenas como plataforma de crowdfunding, a Bookstart fica com 15% do total arrecado, e o saldo vai para conta do proponente do projeto.

Já quando um autor a contrata como prestadora de serviços editoriais e plataforma de crowdfunding, existe os seguintes cenários possíveis:

a) Bookstart fica com 35% do valor total arrecadado, no caso de a campanha ter alcançado exatamente a meta. Neste caso, 65% dos recursos obtidos no crowdfunding serão destinados à execução do projeto.

b) caso o valor arrecadado na campanha bem-sucedida seja superior à meta (“valor a maior”), a Bookstart utilizará parte deste valor a maior para cobrir custos adicionais relacionados à campanha. O restante será dividido entre o proponente da campanha e a Bookstart, na proporção 65%/35%, respectivamente.  A Bookstart reterá o valor correspondente ao percentual que lhe cabe pelo meio de pagamento e repassará ao proponente o percentual correspondente, no prazo de até 45 dias contados da data final do projeto.

c) adicionalmente às remunerações acima descritas, pelo prazo de três anos, independentemente de qual parte seja o negociador para com terceiros, a Bookstart receberá: (i) 35% do saldo líquido disponibilizado pelos distribuidores, quando a obra for disponibilizada em formatos não-impressos (e-book, audiobook, etc), cabendo ao proponente 65%; (ii) 35% do saldo líquido (custo de produção menos o preço de capa e frete), quando a obra impressa for disponibilizada na Livraria Vitual Bookstart, cabendo ao proponante 65%; (iii) no caso de a obra impressa ser disponibilizada em outros canais ou pontos de venda, incluídas as compras realizadas pelo próprio proponente, a Bookstart fará jus à remuneração de 35% sobre o custo da produção (em gráfica escolhida pela Bookstart), estando o proponente livre para praticar qualquer preço de capa/comercialização; (iv) 35% do valor dos direitos pactuados para produtoras videofonográficas, traduções, dentre outras formas de comercialização da obra.

As remunerações acima se referem a todas edições futuras, atualizadas ou não, dentro do prazo de três anos.

 

Editoras também podem 

A Bookstar também oferece um modelo de publicação via financiamento coletivo para editoras. “É um modelo bastante atraente e rentável para as editoras, já que não há necessidade de desembolso de recursos para publicação de suas obras”, informa Obadia. Neste caso, é repassado apenas o montante arrecadado decrescido da comissão da Bookstar, ou seja, em conjunto com a empresa, as editoras estruturam a campanha de crowdfunding e, após o sucesso, recebem os recursos em suas contas e publicam a obra.

“Recentemente, expandimos nossa atuação e também podemos ser subcontratados pelas editoras para prestar serviços editoriais sem a necessidade do crowdfudning. Basta que as editoras nos enviem o escopo do projeto para que entreguemos o arquivo diagramado e, se necessário, todos os exemplares impressos”, informa o empresário.

A Booksatart já conta com a participação de algumas editoras de pequeno e médio porte. “Temos case de uma editora que publica, em média, sete livros por ano conosco”, diz.

Bookstart01_Clientes

Algumas editoras parceiras da Bookstart. Imagem: Site oficial.

 

Alternativa para a crise

A novidade ainda não virou febre no mercado editorial. “É um modelo novo, mas que vem ganhando abrangência e penetração de mercado, haja vista termos publicado mais de 60 obras nos últimos 18 meses. Nossa taxa de sucesso gira em torno de 65% a 70%”, afirma Obadia.

Para o empresário, vivemos um excelente momento com a entrada dos blogueiros, vlogueiros e youtubers (bookturbers), não apenas por audiência, mas por oportunidade. “Acredito que estes influenciadores digitais são uma alternativa para que consigamos novos leitores desde jovens”, diz. E complementa: “se soubermos explorar os canais para que eles possam falar de literatura em alguns momentos de suas inserções, é possível acreditar que, no futuro, mais jovens tomarão gosto pelo universo dos livros”.

Obadia acredita que a entrada de novos modelos de negócio no segmento editorial também pode promover uma maior proximidade entre autores e leitores. “Isso pode funcionar como um importante caminho alternativo para enfrentarmos a grave crise pela qual passamos”, diz.

 

Ajude você também! 

O processo para quem quiser ajudar é muito fácil e simples: basta acessar o link https://bookstart.com.br/pt/explore e escolher o projeto editorial com o qual deseja contribuir.

Na parte lateral direita da tela, os interessados podem conferir as recompensas oferecidas pela campanha. Após selecionar a cota de sua preferência, de acordo com os valores que pretende investir ou com as recompensas previstas, a pessoa poderá realizar o pagamento por cartão de crédito, em até três parcelas sem juros, ou por boleto bancário.

Após contribuir, basta que espere receber no endereço cadastrado o livro e as recompensas adquiridas, no prazo de entrega previsto na página da campanha. Caso a campanha não atinja a meta, o pagamento é estornado, ou o colaborador pode comprar outros livros com o pagamento feito anteriormente.