Confira os lançamentos, feiras e eventos literários que acontecem ao longo do ano!
Fique por dentro das vagas para trabalhar no mercado editorial!

Cursos de mercado + Projeto Literatura para Todos

A programação de cursos da Estação das Letras para o mês de agosto está cheia de propostas bacanas, como por exemplo:

  • Como publicar ficção (com o jornalista e escritor Elias Fajardo)
  • Caminhos da Comercialização: pré-vendas e vendas (com a diretora comercial do Grupo Companhia das Letras, Luciana Borges)
  • Revisão e preparação de originais (com o jornalista Alvanísio Damsceno)
  • Assessoria de Imprensa: das relações de massa para ações mais personalizadas (com a diretora executiva da MC Comunicação, Monica Coronel)

Confira a programação completa de temas, que contemplam, além de mercado editorial, gêneros literários diversos:  goo.gl/iaSYz8. As aulas são realizadas na Marquês de Abrantes, 177, no Flamengo, Rio de Janeiro. Inscrições pelo telefone: (21) 3237-3947.

 

Literatura para Todos

Além destes cursos, em agosto, o Instituto Estação das Letras (IEL) inaugura também o Projeto Literatura para Todos, com aulas regulares em cursos sobre gêneros literários e valores abaixo dos praticados pelo mercado para democratizar a acessibilidade das pessoas em projetos ligados à leitura e à escrita,

“Os cursos oferecidos pelo Projeto fazem parte do espírito coletivizador do IEL. Eles vêm juntar-se não somente à qualidade comprovada dos cursos da Estação, nos quais trabalhamos com mestres de excelência, assim como fazem parte de um acordo de colaboração entre orientadores e espaço”, explica Suzana Vargas, fundadora da Estação das Letras, que sempre desejou colocar a literatura ao alcance de todos, “entre professores, estudantes e pessoas impossibilitadas de fazer frente a custos mais altos”.

Eça de Queiróz; A Voz do Autor; Verso e Prosa; Processos Criativos em Ficção e Literatura Infantil e Juvenil estão entre os temas das aulas e os escritores Sérgio Nazar David, Angela Carneiro, Susana Fuentes, Ronaldo Wrobel, Marcia Cristina Silva, entre os professores.

Segundo Suzana, este é apenas o começo de uma política de bolsas de criação literária e vem mais por aí, com as ações voluntárias já iniciadas. O Leitura Solidária (realizada por voluntários para proporcionar momentos alegres  a outras pessoas) e o Samburá de Livros (recebe doações de livros de pessoas físicas e jurídicas para compor conjuntos com acervo de 50 livros que, após uma seleção com curadoria do IEL, serão doados a pessoas e instituições que realizem projetos de leitura) são exemplos da socialização proposta.

Escritora abre livraria virtual com ênfase na novíssima geração

Com o objetivo de incentivar a cena dos autores independentes do Brasil, a escritora Irka Barrios acaba de lançar a livraria virtual A Boa Prosa, especializada na literatura da novíssima geração. 

A decisão de empreender no mercado editorial veio a partir das dificuldades que os independentes enfrentam para manter seus livros ao alcance dos leitores. “Depois que eu comecei a escrever e conhecer vários autores independentes eu notei que as obras acabavam se perdendo depois do lançamento, porque as editoras pequenas não têm muita entrada nas grandes livrarias”, observa Irka.

Romances, contos, crônicas, poesia, literatura infanto-juvenil e obras acadêmicas compõem a estante da A Boa Prosa. No acervo de cerca de 15 livros, publicados por editoras como a Patuá, Oito e Meio, Bestiário, Biografias e Profecias e Penalux, há espaço para escritores estreantes e para revelações da literatura brasileira, como Bruno Ribeiro, André Timm e Roberto Menezes.

Com o ambiente exclusivo no mercado digital, a ideia é diminuir a distância entre leitores e escritores de todo o país. Para os autores, a livraria é um intermediário que pode contribuir com a venda direta. “Após um lançamento, uma parte dos livros fica com o autor e outra, com a editora que o publicou. Os leitores que não acompanham as novidades do mercado literário ficam sem saber a efervescente produção literária que o Brasil atravessa porque, para encontrar esses lançamentos, é preciso ir até a editora ou acompanhar o autor”, explica Irka, ressaltando que sempre há lançamentos na A Boa Prosa.

A personalização é outro valor pensado por Irka para o empreendimento, que entrega todas as obras autografadas por cada escritor. Um projeto que deve ser implementado em breve é a entrega de minicontos personalizados aos clientes da livraria, oportunizando que cada leitor contribua com a narrativa de um texto exclusivo.

Serviço
A Boa Prosa: livraria virtual com ênfase nos autores da novíssima geração brasileira
Site: aboaprosa.com.br
Email: contato@aboaprosa.com.br

Sobre a escritora
Irka Barrios é natural de Tuparendi, no Rio Grande do Sul. Foi premiada com a segunda colocação no concurso Brasil em Prosa (Amazon/Jornal O Globo, 2015). Participa de diversos projetos de coletâneas de contos, como “Língua Rara” (Ed. Outsider, 2017), “Onsiciente contemporâneo” (Ed. Bestiário, 2016) e “Contos para ler a três” (Ed. Bestiário, 2016). Está em entre os 10 autores selecionados pela Amazon para participar do pitching Vendendo Sua Ideia na Festa Literária de Paraty 2017.

Workshop de Literatura Contemporânea no Rio de Janeiro reúne grandes nomes

O curso mescla pensamento e exercício sobre as mais variadas técnicas narrativas, com as diferentes visões de grandes escritores. O O objetivo é você aprender a misturar tudo isso e criar o seu próprio texto. Em formato de workshop, a ideia é ter um espaço criativo livre para todos que querem aprender ou aprimorar sua técnica.

É um curso de criação literária que existe há quatro anos em Porto Alegre e que, em julho, chegará à segunda edição no Rio de Janeiro, reunindo alguns nomes muito interessantes das literaturas brasileira e portuguesa.

É um curso para pensar e fazer literatura hoje, que mescla aulas de criação literária e um percurso de escrita com encontros com grandes nomes da literatura contemporânea.

Nesse ano, o curso conta com Daniel Galera, Marcelino Freire, o português José Luís Peixoto e a poeta Marília Garcia.

A coordenação e as aulas de criação literária ficam a cargo de Reginaldo Pujol Filho (escritor, mestre e doutorando em Escrita Criativa na PUC-RS), Cristiano Baldi (escritor, mestre e doutorando em Escrita Criativa na PUC-RS) e Rodrigo Rosp (editor, escritor, mestre e doutorando em Escrita Criativa na PUC-RS).

Serviço
TXT, workshop de literatura contemporânea
Data: De 04 a 22 de julho
Local: Perestroika – Escola de Atividades Criativas (Rua Martins Ferreira, 12 – Botafogo – RJ)
Os encontros ocorrem às terças e quintas, das 20h às 23h e aos sábados, das 10h às 13h.
Para mais informações: http://www.perestroika.com.br/cursos/rio-de-janeiro/txt/

Lago de Histórias abre inscrições para seleção de originais infantojuvenis e busca novos autores para seu catálogo

A seleção vai até o dia 4/9 e os escolhidos, com possibilidades de publicação (ao todo, três autores) em 2018, serão anunciados no dia 29/12. 

 

A Editora Lago de Histórias abre inscrições a partir de 3 de julho para a sua primeira seleção de originais na categoria Infantojuvenil. O objetivo é identificar escritores cujas obras possuam qualidade literária para edição, colaborando com o crescimento do catálogo da editora.

Os concorrentes devem ter a partir de 18 anos, podem ter livros já publicados, mas os textos para análise – são até dois por pessoa, sendo uma taxa para cada – não podem ter sido veiculados em qualquer meio de comunicação.

O processo seletivo será realizado mediante inscrição on-line e pagamento de taxa. Os trabalhos serão submetidos à avaliação de até quatro escritores e jornalistas, além de professores de Letras e um membro da editora. A seleção vai até 4 de setembro e os escolhidos (no máximo três), com possibilidades de publicação, serão anunciados em 29 de dezembro deste ano.

Fundada em 2016 no Rio de Janeiro pela educadora e escritora Helena Lima, a Editora tem a intenção de investir em literatura para instigar a imaginação, despertar os sentidos, aumentar dúvidas, desajustar ideias, e encontrar poesia no imprevisível.

Para a editora da Lago, Helena Lima, autor de literatura infantojuvenil precisa se autorizar a tratar de qualquer tema, sem subestimar a capacidade de entendimento do público para o qual escreve. “Deve escrever para despertar o interesse pela narrativa, instigando o leitor, provocando seus sentidos, incentivando muitas e vastas interpretações, é importante saber deixar frestas que estimulem o leitor à viagens literárias”, indica.

A Lago de Histórias estreou com livros da própria Helena: Bia sem pressa (quarta capa do escritor Márcio Vassallo); Os medos da Bel (quarta capa da escritora Angela Leite de Souza); Mais felizes do que sempre (ilustrações de Anabella López, vencedora de prêmio Jabuti 2015 de Ilustração); e Soldado (quarta capa da Roseana Murray). Em junho, a casa lança Olga  e Grande ou Pequena?  também de Helena e com ilustrações de Anabella López e Thais Linhares, respectivamente.

SERVIÇO 
Análise de Originais Lago de Histórias
Período de inscrições: de 03 de julho a 04 de setembro de 2017
Inscrições: contato@lagodehistorias.com.br

20 anos de Magia

A primeira vez que ouvi falar de Harry Potter foi por indicação de leitura de uns amigos que, desde bem pequenos, moravam em Londres. Todo ano, na época de Natal, eles vinham ao Brasil e, numa dessas, conheci ‘Harry Potter e a Pedra Filosofal’. Eu tinha 12 anos e não dei a mínima para esse papo de bruxos e universo fantástico.

Pouco depois, durante alguns dias de verão na casa da minha melhor amiga, em Maresias, tropecei no mesmo livro e, percebendo a euforia com o que a madrinha dela (sim, uma adulta!) falava da história e dos personagens, resolvi dar uma chance ao órfão de cicatriz na testa.

Para bem dizer a verdade, eu mal sabia da trama. Mas eu adoro ler na praia, então, uni o útil ao agradável e não foi muito difícil de entrar no livro.

Ler Harry Potter é muito curioso. A história – a grosso modo – nada mais é do que a luta do bem contra o mal. Um clássico. Mas é envolvedor. As cartas que invadem lareira. O gigante desajeitado que vem buscar o estranho menino debaixo do quarto da escada. A alegria pueril de comemorar um aniversário nunca antes celebrado. A surpresa juvenil de descobrir que você não é o que pensou a vida inteira ser… Mas o que roubou o meu coração para a eternidade foi a lista de material de Hogwarts!

harrypotter_listadematerial

Ainda neste mesmo verão, estávamos eu e todos os meus amigos no meu sítio e, enquanto eles varavam a noite ao redor do tabuleiro de War, eu varava a noite devorando os livros de Harry Potter, que haviam me fisgado de vez.

Daí em diante, não parei mais! Li um livro atrás do outro, sem parar: chorei compulsivamente a morte de Dumbledore (e eu quase nunca choro por nada!), sofri a Batalha de Hogwarts, quis ser uma bruxa tão forte e determinada quando Gina, torci pelo amor de Ron e Hermione…

Screenshot_20170626-230611Não sou uma leitora da geração Harry Potter, pois eu sempre fui leitora. Mas vi muitos leitores se formarem e crescerem junto com Harry, Ronie e Hermione. Para aqueles que afirmam que quem lê Harry Potter não adianta ou seria melhor não ler nada… bom, são 20 anos de história que provam o contrário. Os leitores do bruxinho tomaram gosto pelo hábito da leitura e já está mais do que provado empiricamente que da literatura infantojuvenil eles migraram para outros livros, outros gêneros e outros autores.

Mas além de uma geração de novos leitores no mundo inteiro, J.K. Rowling abriu as portas para uma infinidade de possibilidades editoriais: A Saga Crepúsculo e Jogos Vorazes, por exemplo, certamente devem seu sucesso ao bruxinho antecessor.

Isso sem contar as referências históricas, literárias e de senso moral (diferenciando o bem do mal) – que ajudam a formar o caráter de criança e adolescente.

Harry Potter legitimou o jeito geek: ser nerd passou a ser cool; deu espaço a uma geração de jovens e adultos que não encontrava seu lugar no mundo; criou uma nova maneira de permitir ser quem é, gostar do que gosta.

E não podíamos esquecer, é claro, da fábrica de dinheiro que essa ‘história boba’ acumula até o dias de hoje: os filmes, os parques – QUE EMOÇÃO! -, as roupas, acessórios, bonecos etc etc etc!

Harry Potter cresceu e se fortaleceu em mim! E contagiou a todos ao meu redor: as pessoas gostam de lembrar de mim quando o assunto é HP e eu adoro ser lembrada por este motivo!

Minha história começou na praia e terminou tatuada no meu braço. Porque eu admiro muito a maneira linda com que J.K.Rowling transformou a relação humanidade x livros na sociedade contemporânea. E serei eternamente grata por isso! ALWAYS.

Screenshot_20170626-230626

 

« posts mais antigos